21 de abr de 2011

Ética por favor!

Faça um rádio melhor, comece por você!

Dedico muito tempo à rádio escuta – verdadeiro coruja – de algumas frequências, assim como muitos colegas que curtem este lado de nosso hobby. Por vezes fico horas e horas acompanhando um papo saudável daqueles que somam conhecimento ou simplesmente faz o tempo passar quando se está na estrada, nem penso em adentrar para simplesmente não atrapalhar a cadência do assunto que estão conversando, fico do lado de cá de meu rádio curtindo. Mas infelizmente não são raras as vezes que um cidadão que possui um rádio e uma antena, longe de ser um radioamador - tendo ou não indicativo, começa com portadoras, risadinhas inconvenientes, replicação do áudio gravado do ultimo câmbio ou mesmo palavrões. Não resta outra alternativa a não ser uma QSY ou a drástica solução da tecla Power off.

Trabalho no mais renomado centro de pesquisas de telecomunicações da América Latina, onde são desenvolvidas tecnologias para vários países, incluindo EUA, Japão, Inglaterra e Rússia, isto me traz conhecimento que facilita o acesso a equipamentos e tecnologias de ponta. Estas tecnologias torna o chamado “éter” palpável, quase que visto a olho nu, lhe permitem por exemplo identificar a emissão de um sinal específico dentro de uma gama de milhares de sinais diferentes dentro de uma mesma faixa.

Não, eu não mudei de assunto, este foi um paralelo para que possamos entender o que digo a seguir. Algum tempo atrás e depois de duas semanas de verificações, analisando duas portadoras que muito incomodam uma determinada frequência destinada pela ANATEL ao radioamadorismo, tive uma grande surpresa, nos dois casos os causadores de tal perturbação eram velhos conhecidos de todos no VHF. Conhecidos ao ponto de participarem esporadicamente como pessoas de bem das rodadas e em determinados momentos se tornavam os perturbadores emissores de portadoras e donos do mais aguçado dicionário de palavrões. 

Com uma voz distorcida ou alterando a antena em uso ou mais facilmente a potência do rádio, creem que passam despercebidos, passam aos ouvidos humanos mas são imediatamente identificados por tecnologias dedicadas. 

O intuito desta análise feita não foi por desforra, mas para buscar o entendimento que motivava estes perturbadores. Procurei pessoalmente conversar com os dois, o primeiro negou até o ultimo fio de cabelo, mesmo vendo os gráficos de identificação e localização, ouvindo seu próprio áudio clareado o que fora distorcido, simplesmente negou. Por eu não ser órgão fiscalizador – somente um pesquisador de telecomunicações – encaminhei o material ao órgão competente que tomou as providências cabíveis.

Tive mais sorte como segundo, que certamente lerá este artigo recordando nossas conversas, concordou que estava errado e foi o suficiente para abrir as portas para uma conversa saudável com término muito positivo, hoje o amigo adentra a frequência quase que diariamente operando com um verdadeiro rádio amador.

Com certeza os que resolvem perturbar uma frequência não tem motivos justificáveis, pois nada justifica transferir para o próximo as suas frustrações, tristezas e descontentamentos. De forma comum diz-se que não está escrito na testa de um homem se ele é bom ou ruim, o que já não vale para os radioamadores, está “escrito” na testa de sua transmissão se você é bom ou ruim. Sua transmissão é uma verdadeira impressão digital, única, como se fosse o seu RG ou o IP de um computador, você pode ser identificado. A ANATEL hoje dispõe de equipamentos e tecnologias para fazê-lo e outras pessoas também. A prática de interferência é crime, isso não é novidade a novidade é que se tecnicamente comprovada você terá sérios problemas.

Isto posto, faça um rádio limpo, faça um rádio com ética!

2 comentários:

  1. Caro Amigo Sérgio

    Infelizmente essa é uma realidade que alguns delinquentes ainda insistem.
    Delinquentes que se passam por nossos amigos
    ( colegas ),muitas pessoas sabem quem são e apoiam dão cobertura e ainda pior entrão na bagunça achando a maior graça em dar portadoras e ofender as pessoas ,isso ja foi muito pior a tempos atras ,mas estamos lutando denunciando as autoridades.
    Por estes e outro motivos muitas repetidoras estão desativadas jogadas as traças deteriorando no tempo,muitas repetidoras que poderiam estar no ar dando muito mais cobertura ao radioamadorismo.
    Manter uma repetidora não e facil,não só pelo custo mas pelo dificuldade de manutenção pelas criticas que muitos fazem, pelo tempo que deixamos nossa familia, pelos finais de semana que passamos no morro pelo risco que corremos etc. etc....

    Um abraço Amigo PY2JV Marco

    ResponderExcluir
  2. Sergio,
    Estou iniciando no Radio Amadorismo, e gostei muito da sua eloquencia em resumir muito bem a realidade hoje do comportamento de pessoas descompromissadas com esse canal fabuloso e pessoal de comunicação, desde jovem, no meu primeiro contato com um radio PX Cobra no Canal 21 em Sao Bernardo do Campo, fiquei facinado com esse aparelhinho que de tão pequeno e tão maravilhoso para abrir o mundo. Parabens e agradeço desde já as colocações que sempre farão parte da minha conduta, e muito respeitosamente irei iniciar, e com a certeza de que propagarei vosso pesnamento, se assim o permitir a todos quantos ouvirem essa maravilhosa "ARTE DE COMUNICAÇÃO" que e o radio Amador.
    Um cordial abraço.
    Paulo F.
    Campo Largo-PR.

    ResponderExcluir